Restaurante Habesha

In ***, Bairro Operário, Ethiopian, Mediano / Average $$, Restaurants by Luanda Nightlife1 Comment

Existem pelo menos dois restaurantes etíopes no Bairro Operário: o que chamamos simplesmente de “Restaurante Etíope“, por não conhecermos o seu nome oficial (e porque é possível que não o tenha) e o mais conhecido e famoso Habesha Restaurante, localizado na rua paralela (Rua G). Depois de algumas curvas erradas e pedidos de indicações aos residentes do BO, lá encontramos o quintal amplo do Habesha.

Quem nunca provou gastronomia etíope não sabe o que perde. As funcionárias do Habesha mal falam português, mas dá para passar a mensagem essencial: “Queremos um pouco de tudo!” O prato enorme de injera com carne e legumes dá confortavelmente para 3 pessoas; há também opções para vegetarianos. Não saia de lá sem provar o café com pipocas.

There are at least two Ethiopian restaurants in Bairro Operário: the one we simply call “Restaurante Etíope” as we don’t know its official name and aren’t sure it has one, and the more famous Habesha Restaurant, located one street over (on Rua G). After a couple of wrong turns and feedback from local residentes, we finally found Habesha’s ‘quintal’.

If you’ve never had Ethiopian cuisine, you don’t know what you’re missing. Habesha’s waitstaff don’t speak Portuguese or English, so communication can be a bit difficult; save youself some time and just ask for “everything” (tudo, in Portuguese). They’ll bring you a large dish of numerous stews and greens served atop an injera base that will feed at least three people; there are also vegetarian options. And don’t leave without having their coffee with popcorn.

Onde fica? Se estiver a vir da Rua Cónego Manuel das Neves (Rua da Edel): curve na primeira esquerda depois do prédio da Edel. Será uma rua de terra batida, também conhecida como Rua do Centro Cultural Agostinho Neto. Bem-vindo ao Bairro Operário. Conte 6 cruzamentos; no sexto cruzamento, curve à direita. O Habesha estará na esquina à sua esquerda, por trás de portão acinzentado. Se não tiver a certeza qual é a casa certa, pergunte a vizinhança.

Se estiver a vir do Miramar, passe a discoteca W Club (antigo Chiuaua) e vire na primeira direita logo após a discoteca. Continue sempre em frente até passar o Centro Cultural Agostinho Neto (5 cruzamentos); vire depois na primeira esquerda a seguir ao Centro (Rua G). O Habesha fica no lado esquerdo. Veja o mapa abaixo.

The eternal question: where is Habesha? If you’re coming from Rua Cónego Manuel das Neves (also known as Rua da Edel), turn on your first left after the Edel Building; you’ll enter a dirt road also known as Rua do Centrul Cultural Agostinho Neto. Welcome to Bairro Operário, one of Luanda’s most historical neighborhoods. Count 6 intersections – roads here still have a grid pattern – and at your sixth intersection, turn right. Habesha will be on your left, behind a grayish gate. If you’re not sure if you’ve found the right place, ask the neighbors.

If you’re coming from Miramar, pass W Club and take the first right after the Club. Go straight and count 5 intersections – you’ll pass Centro Cultural Agostinho Neto on your left. Take the next left after the Centro; you’ll be on Rua G. Habesha is right at the beggining of the street, on the left side. See the map below.

img_5681

Estranhamente, Luanda é uma capital africana com pouquissimos restaurantes africanos. Ou se calhar somos nós que conhecemos poucos. O Habesha é pracitamente um quintal coberto ao pé de uma casa típica do Bairro Operário. A decoração, apesar de simples e modesta, é uma lufada de ar fresco. Incorpora algumas das tradicionais peças decorativas da Etiópia e um vistoso bar de madeira que domina a pequena mas aconchegante sala de jantar. Ao lado desta sala existe uma outra, mais pequena, para um café ou um digestivo após a refeição.

Strangely, for the African capital city, Luanda has a very small number of African restaurants. Or maybe we simply don’t know where they are. Nonetheless, Habesha is quite an interesting spot. It’s practically a covered patio (quintal) next to a typical Bairro Operário house. The décor is simple and modest, but still retains its Ethiopian charm; in a city where it sometimes seems restaurants are copying each other’s décor, this is a breath of fresh air. Besides some pieces of Ethiopian furniture you’ll see the large wooden bar that dominates the small but cozy dining area; next to the dining area is a smaller lounge where you can sip some coffee or tea after your meal. 

img_5684

O Habesha não tem menu e os funcionários mal falam português ou inglês. Por isso, a melhor opção é pedir Mahberawi, um dos mais famosos pratos da cozinha etíope. O mahberawi é típicamente comido nas épocas festivas e inclui um pouco de tudo –  guisados e estufados de carne de vaca, frango, peixe, lentilhas, diversos legumes, e salada – servido por cima de uma base de injera (pão etíope). A ideia é enrolar a comida dentro do pão; come-se com as mãos. Os sabores assemelham-se um pouco à cozinha libanesa e indiana.

Normalmente os funcionários perguntam, em português de difícil compreensão, se quer carne, peixe, frango, ou tudo. Peça tudo. Tem também a opção vegetariana, e felizmente as palavras “vegetariana” e “só vegetais” são compreendidas pelo staff aqui.

As nossas refeições no Habesha terminam com café e pipocas, uma especialidade da casa.

img_5687

Habesha doesn’t have a menu and the waiters don’t speak Portuguese or English. So perhaps your best best would be to order the Mahberawi, one of Ethiopian cuisine’s most famous dishes: it’s basically a selection of several delicious stews, incluidng beef, chicken, fish, lentils, other legumes and salad, served atop an injera base (injera is a type of Ethiopian bread) with more injera on the side for your personal use. The idea here is to roll the stew inside the bread, similar to a taco or burrito; needless to say, you’ll be eating with your hands. If it’s your first time having Ethiopian, think of it as being a distant cousin to Lebanese and perhaps Indian cusine.

What will usually happen once you sit is that one of the friendly waiters will ask you in broken Portuguese or English if you want meat, chicken, fish, or everything. Our recommendation: ask for everything, and share with your friends. There’s also a vegetarian option, and thankfully staff has no problem in understanding the words “vegetable only” or “vegetarian”.

Our meals at Habesha usually end with coffee and popcorn, a house special. 

Há cerveja, vinhos, refrigerantes, sumos, e algums bebidas espirtuosas no bar.

There’s beer, wines, soft drinks, juices, and some spirits at the bar. 

Ao todo, 4 pessoas pagaram cerca de 3.500 AKZ cada por dois pratos grandes (um deles vegetariano), meia dezena de cervejas, água e café. Isto em Novembro de 2016.

On our last visit to Habesha (November 2016), four people paid about 3,500 AKZ each for two mahberawi (one of them vegetarian), half a dozen beers, water and coffee.

  • É muito positivo para nós fugir da rotina da cozinha luso-angolana. Não tem bitoque no menu? Perfeito!
  • Apreciamos a cozinha etíope e o Habesha não desaponta. Antes pelo contrário. A comida aqui é bastante saborosa e as porções são generosas.
  • Os preços baixos. Das melhores relações preço-qualidade que conhecemos em Luanda.
  • It’s always a pleasure to break from the constant streatm of Portuguese-Angolan food. No bitoque on the menu? Perfect!
  • We’re fans of Ethiopian cuisine and Habesha doesn’t disappoint. On the contrary: food here is very tasty and portions are generous.
  • We love the low prices. This spot has among the best price-quality ratios we’ve seen in Luanda. 
  • Já está na altura de terem no restaurante alguém que fale português ou consiga pelo menos arranhar um pouco de inglês. Mas o ideal mesmo seria ter pelo menos um funcionário que falasse português e pudesse explicar às pessoas, especialmente aqueles que nunca provaram comida etíope, o que esperar, quais os ingredientes e o que é possível pedir.
  • It’s time they hire someone at the restaurant who can speak Portuguese or at least a smattering of English. The ideal scenario would be having a waiter that could speak Portuguese and had the ability to tell diners, especially those who’ve never come in contact with Ethiopian food before, what to expect, what ingredients are used and what the kitchen is serving.

Pela qualidade da comida, pela experiência diferente que é o simples facto de ir jantar num restaurante etíope no meio do Bairro Operário, pela relação preço-qualidade e pelas porções.

For the food quality, for the simple pleasure of the experience of having dinner in an Ethiopian restaurant in the middle of Bairro Operário, and for value for money. 

Habesha Restaurant

Address | Endereço: Rua G, Bairro Operário
Tel: 934 273 534 | 939 108 303
Neighborhood | Bairro: Bairro Operário (B.O.)
Cuisine | Cozinha: Etíope
Price | Preço: Mediano | Average
LNL Rating | Classificação LNL: * * *
Payment/Pagamento: Cash, MultiCaixa
Alcohol: Beer, wine, spirits

img_5691

Comments

comments