Kook: O Melhor do Ano

In Angolan, Features, Portuguese, Puxado / Upmarket $$$, Restaurants, Talatona by Luanda Nightlife1 Comment

Este artigo é de Patrícia Pinto da Cruz, com fotos de Vasco Célio, e foi publicado na última edição (Abril-Maio 2016) da Revista Rotas & Sabores, parceiro de mídia do Luanda Nightlife.

Screen Shot 2016-04-27 at 13.01.35

Há quem diga que o KooK serve um dos melhores sushis de Luanda e é exactamente por este tipo de cozinha que o restaurante é mais conhecido. Dito isto, temos mesmo que deixar claro que a cozinha mediterrânica que aqui encontramos não fica nada atrás dos pratos japoneses. E os dois tipos de cozinha contribuíram igualmente para que o KooK fosse considerado o Melhor Restaurante do Ano 2015 pelos cinco júris escolhidos pelo portal angolano Luanda Nightlife – do qual fez parte a Rotas & Sabores – que todos os anos organiza esta competição. Segundo as palavras do Cláudio Silva, sócio-gerente do site sobre onde comer, beber e dançar na capital, “uma refeição no KooK não é uma refeição qualquer: em cada prato nota-se o respeito pelo ingrediente, a mestria de quem o transformou em algo comestível e o respeito pela arte em si”. Os artistas responsáveis pelo sucesso do KooK são dois: o chef Pedro Resende Pereira e o sushiman José Raimundo. E ambos estão de parabéns.

A carta não é muito extensa, mas isto tem uma boa razão. O restaurante faz questão de ter sempre disponível cada prato sugerido na ementa, algo raro e difícil hoje em dia, pela dificuldade em se encontrar certos produtos no mercado. Mas os pratos apresentados compensam tudo. Há sempre quatro pratos de carne e quatro de peixe, fora os pratos do dia, e cada um deles é uma obra de arte, sendo que mesmo os pratos do dia podiam perfeitamente entrar em qualquer menu gourmet de tão bem confeccionados que são e pelo respeito que é dado a cada ingrediente. Todos os vinhos da carta também estão sempre disponíveis e são servidos à temperatura devida, algo ainda mais raro. Não faltam os cocktails (os gins são especialmente bons, não deixe de provar), as bebidas raras e até os charutos, para quem gosta. O objectivo é: aconteça o que acontecer, nunca faltar nada ao cliente.

Cada prato servido no restaurante é original e ousado, numa mistura de sabores inesperada. Um dos pratos que tivemos oportunidade de experimentar foi o Bacalhau assado com Mandioca e Azeitona. Quando ouvimos “bacalhau assado” esperámos uma coisa, mas o que nos foi apresentado ultrapassou qualquer bacalhau que já tivéssemos provado. O Leitão assado com Milho e Lagosta foi outra surpresa agradável, e o Polvo com cheiro a fumo, Batata-doce e Ginguba é um dos melhores pratos do restaurante.

Algo que se nota perfeitamente nas refeições é a fusão entre a cozinha portuguesa e a angolana. Na ementa lê-se: “Uma das nossas especialidades… Mufete!!”, e não falta a ginguba, a mandioca, a batata-doce e a kizaka. Algumas das sobremesas são Chocolate com Fuba de Bombó e Ginguba, ou Mil-folhas de Maracujá com Gelado de Múcua.

Screen Shot 2016-04-27 at 13.02.19

Além dos pratos apresentados na ementa e os do dia, também se pode optar pelo Menu de Degustação de Cinco Pratos e o Menu de Degustação com Pack de Vinhos. Qualquer um deles é uma opção perfeita para experimentar verdadeiras obras de arte servidas num prato. Esta foi uma inovação trazida pelo KooK e que conquistou seguidores entre os outros restaurantes da capital. Este menu muda consoante os produtos disponíveis no mercado e as mudanças que o chef decida fazer. No dia em que os júris do Luanda Nightlife visitaram o Kook, foi uma destas refeições que os fez tomarem a sua decisão de premiarem o espaço como sendo o Melhor Restaurante do Ano. Cláudio Silva testemunha: “O menu da nossa refeição espelhou perfeitamente o conceito gastronómico deste restaurante, que prima pela utilização de ingredientes locais e por estimular os nossos sentidos”.

Quanto ao sushi, não é por acaso que é o cartão-de-visita do KooK. O sushiman José Raimundo faz maravilhas no seu balcão todos os dias, mas é às terças-feiras que brilha mais. O KooK foi o primeiro restaurante a fazer o Festival de Sushi, que acontece todas as semanas. Pelo preço de uma combinação de 20 peças, cada cliente é recebido com uma flute de espumante, seguida de uma entrada de Sopa Miso, uma peça à escolha do chef, um combinado de 20 peças (diferentes dos menus dos outros dias) e uma sobremesa. Quando a ideia do Festival de Sushi surgiu, era suposto ser apenas uma vez, mas o sucesso foi tal que se tornou num evento semanal que dura há mais de um ano e meio. Agora, podemos encontrá-lo aqui e no Brisa Café, um espaço no Deana Day Spa, na Baía de Luanda, ambos organizados pelo KooK.

Estando localizado dentro do condomínio do Belas Business Park, em Talatona, torna-se óbvio que aqui não há problemas de falta de segurança, já que o espaço é vigiado 24 horas, e também não há falta de lugares de estacionamento. Se, por acaso, o parque estiver cheio quando chegar, o KooK tem serviço de valet, basta avisar alguém do staff e entregar a chave do carro. Falando em staff, fora o gerente e o chef, toda a equipa é nacional e está no restaurante desde que este abriu as portas, há cerca de dois anos, sendo praticamente uma família.

Não deixe de visitar ou revisitar porque cada refeição no KooK é uma experiência.

Kook Restaurante Charuto


This article was written by Patrícia Pinto da Cruz, with photos by Vasco Célio, and was published in the latest edition (April-May 2016) of the Rotas & Sabores magazine, Luanda Nightlife Media Partners.

Some people say that KooK serves one of Luanda’s best sushi. As a matter of fact, this restaurant is best known for this type of cuisine. But that said one must add that the Mediterranean cuisine we find here is as good as their Japanese dishes. The fusion cuisine concept was key to recognize KooK as the Best Restaurant of the Year 2015, voted by a five-person jury – including Rotas & Sabores – selected by Luanda Nightlife, the Angolan website behind this annual competition. According to Claudio Silva, managing partner of the website specialized in restaurants, bars and nightclubs in the capital, “a meal at KooK is not just another meal: the respect for each and every ingredient is obvious in any of KooK’s dishes; as well as the mastery of the people who turn them into something edible and their respect for the culinary art itself”. The artists responsible for KooK’s success are Chef Pedro Resende Pereira and sushiman Jose Raimundo. Both deserve our congratulations.

The menu is not very extensive, but there’s a good reason for that. The restaurant insists on serving every dish included on the menu, something rare nowadays because of the difficulty in finding certain products in the market. But the suggested dishes make up for everything. There are always four meat dishes, four fish dishes and day specials. They are true works of art and even the day specials could well go into any gourmet menu because of the care they put on every dish and the respect they have for each ingredient. Plus: every wine on the list is always available and served at the right temperature, which is rather unusual nowadays. There are also plenty of cocktails (gins are especially good so make sure you taste them all); rare drinks and even cigars for connoisseurs. Their goal: no matter what happens, customers must be served everything they want.

Every dish served at KooK is original and daring, a mixture of unexpected flavors. One of the dishes we had chance to try was baked codfish with cassava and olive. When you order “baked codfish” you expect something else, but what we got exceeded any codfish dish we’ve ever tried. The roast piglet with corn and lobster was another pleasant surprise, but the octopus-smelling-smoke with sweet potato and ginguba (peanuts) is definitely one of KooK’s best dishes. Another obvious detail: the fusion of Portuguese and Angolan cuisines. “One of our specialties… Mufete!!” the menu reads, plus ginguba, cassava, sweet potato and kizaka (yuka leaves stew). Among other desserts, there’s chocolate with fuba de bombo and ginguba (cassava flour and peanuts) or passion fruit millefeuille with baobab ice cream.

In addition to the conventional menu and day specials, you can also try the Five-course Tasting Menu or the Wine Pack Tasting Menu. They are both ideal to sample true works of art served on a plate. KooK introduced this innovation on Luanda’s restaurant scene; a concept that gained loyal followers among other restaurants in the capital. The menu changes depending on the products available in the market and according to the Chef’s decisions. The day the jury selected by Luanda Nightlife visited the restaurant it was one of those menus that convinced them to give the Best Restaurant of the Year award to KooK’s team. “Our meal did justice to the restaurant’s gastronomic concept, which excels in the use of local ingredients and in stimulating our senses”, Claudio Silva explains.

But it’s no coincidence that sushi is KooK’s signature dish. Sushiman Jose Raimundo works wonders every day; still, Tuesday is his big day. KooK was the first restaurant in town to organize a Sushi Festival, which takes place every week. For the price of a 20-piece combination, clients are greeted with a flute of sparkling wine followed by a miso soup for a starter, a dish suggested by the Chef, the 20-piece plate (different from the daily menus) and a dessert. They first planned to promote a Sushi Festival as a one-off event, but it had such a big success that it became a weekly event that goes on for more than a year and a half now. And not only at KooK, but also in Brisa Café, at Deana Day Spa on the Bay of Luanda, both organized by KooK.

The restaurant’s location within the condo Belas Business Park in Talatona makes it a safe place to go. There’s no lack of security here since it is a 24-hour guarded area. Another plus: no shortage of parking spaces. But if the park is full when you get there, KooK offers a valet service; you just need to call a staff member and hand them your car keys. Speaking of staff, the whole team except the manager and the Chef is 100% Angolan and part of this project since it opened, about two years, meaning they’re pretty much a family.

Be sure to go there more than once because every meal at KooK is a true experience.

Comments

comments